22 / mar / 2019

Artistas brasileiros: conheça alguns que prometem fazer bonito em 2019

O mercado da arte está em crescimento e novos artistas brasileiros estão aproveitando para deixar sua marca. Depois de viver momentos de crise por volta de 2009, a área voltou a apresentar números positivos em 2017 e se mantém em alta desde então. Essa boa fase reflete diretamente na produção artística do nosso país.

No Brasil, o cenário da arte também vem apresentando crescimento. Em 2017, as vendas tiveram um crescimento de cerca de 40%. Esse amadurecimento se mostra no destaque cada vez mais que os artistas brasileiros vêm recebendo pelo mundo todo, apresentando um trabalho criativo e carregado da essência do nosso país.

Por isso, selecionamos dez nomes que vêm produzindo um trabalho artístico interessante e devem atrair os holofotes nesse ano de 2019. Fique de olho neles!

Sarmurr

O jovem artista recifense Samuel D’Saboia já participou de galerias e feiras de arte na América Latina, Nova Iorque, Los Angeles e Berlim. Seguidor do movimento chamado Afropresentismo, Sarmurr busca promover novas definições da representação do negro na arte utilizando elementos da estética contemporânea. Nas suas telas, os mais diversos materiais se combinam para criar obras que surpreendem e despertam reflexões.

Erika Verzutti

Artista plástica que começou a expor seu trabalho em 1995, Erika Verzutti primeiro conquistou a crítica estrangeira e só depois começou a conquistar seu espaço no país. Sua obra com traços ousados e experimentais chega a 2019 com perspectivas bastante promissoras. Em fevereiro, ela abriu uma mostra individual no Centre George Pompidou.

Artur Lescher

Um dos artistas brasileiros mais reconhecidos e escultor respeitado há mais de trinta anos, Artur Lescher realiza nesse mês de março uma retrospectiva que resgata os momentos mais marcantes da sua carreira. São diversos trabalhos que surpreendem no design dos mais diversos tipos de materiais, como pedra, madeira, feltro e cobre.

Jac Leirner

A paulistana Jac Leirner recebe esse ano o prêmio Wolfgang Hahn, concedido pelo Gesellschaft für Moderne Kunst am Museum Ludwig, em Colônia, na Alemanha. Expoente da arte conceitual, ela é a primeira sulamericana a conquistar a honraria. Sua arte costuma utilizar objetos comuns, como sacolas de plástico e maços de cigarro, para desestetizá-los, seguindo a escola ready-made de Marcel Duchamp.

Carlos Monroy

Carlos Monroy chega a 2019 depois de um 2018 bastante movimentado e prestigiado. Recentemente, passou por uma residência artística de três meses na prestigiada Cité des Arts, em Paris e em seguida apresentou a mostra individual “Corpus Leve Obis Novus” em São Paulo. O trabalho de Monroy apresenta uma arte visual questionadora, implacável e surpreendente.

Clara Leff

Com apenas 21 anos, a paulistana Clara Leff faz do grafite sua forma de expressão artística, explorando a arte realista no universo feminino. Com uma paleta de cores característica e forte utilização da textura de gotas, ela questiona os padrões de beleza abusando do inusitado em suas composições.

Pomb

Thales Fernando, o Pomb, é um artista urbano que utiliza peças de madeira em colagens de larga escala, além de explorar a criação de gravuras e o muralismo. Um dos artistas brasileiros que mais chamam a atenção pela solidez das suas formas, com trabalhos que se apoiam sobre a utilização de personagens para deixar transbordar suas mensagens.

Lanó

Lanó é uma dupla formada pelas artistas Carolina e Juliana, que exploram o minimalismo em desenhos feitos nas paredes. Investindo no detalhamento dos traços para criar visuais ao mesmo tempo belos e complexos, seus desenhos se mesclam à paisagem urbana e formam uma espécie de oásis de ternura em meio a brutalidade do dia a dia.

Pina

Com um trabalho baseado em stencil, Pina explora em sua a arte a interpretação de que a cidade é uma entidade viva, com anseios e impulsos próprios. Ao mesmo tempo, ela pode ser transformada pelas nossas próprias mãos. Esse equilíbrio é alcançado com a combinação de abstração, realismo e geometria.

Andre Mogle

Andre Mogle é um dos artistas mais proeminentes do cenário street brasileiro. Sua forma de expressão principal é o grafite, por meio do qual nascem uma seleção de personagens lúdicos que se entrelaçam entre folhas e raízes para trazer mais vida para os ambientes urbanos e suscitar reflexões sobre a natureza humana.

Fontes: Revista Casa e Jardim, Pina Stencil, Arte que Acontece, Wikipedia, Galeria Nara Roesler, Enciclopédia Itaú Cultural, Uol [1, 2], Pomb, Clara Leff, Mapa Paço das Artes, Centro Cultural São Paulo e Carlos Monroy.