26 / set / 2018

Christian Dior: conheça a maior exposição já feita sobre ele.

Christian Dior foi um dos maiores estilistas que o mundo já conheceu. Seu estilo criou a moda dos anos 50 como conhecemos. Numa época pós-guerra, quando todos esperavam conforto e simplicidade, Dior surpreendeu ao oferecer o luxo e a feminilidade vitoriosa, conhecida como “New Look”. Para celebrar sua contribuição ao mundo da moda, uma grande exposição está sendo preparada, a maior já feita em nome de Dior.

Nascido em Granville, na França, Christian Dior sempre teve inclinação artística, o que frustrou seus pais, que esperavam ver o filho seguindo a carreira de diplomata. Sua primeira incursão na área veio com uma pequena galeria de arte aberta com um amigo, aos 24 anos, graças a um empréstimo do pai. Após a morte da mãe e do irmão e de problemas financeiros na empresa da família, durante a Grande Depressão, a galeria teve que ser fechada.

O início do mundo da moda

Em 1937, ele foi contratado pelo designer Robert Piguet para desenhar três coleções. Foi onde Dior, segundo suas próprias palavras, aprendeu o poder da simplicidade por onde a verdadeira elegância deve vir”. Uma das peças desenhadas por Christian Dior fez bastante sucesso, a “Cafe Anglais”. Mas sua carreira teve uma breve interrupção quando ele foi convocado para o serviço militar.

Quando voltou, Dior trabalhou com Lucien Lelong, onde desenhou vestidos para esposas de oficiais nazistas e colaboradores franceses, como outras casas que continuaram funcionando durante a Guerra. Ele chegou a receber uma proposta de Marcel Boussac, na época conhecido como o homem mais rico da França, de ser o designer da Philippe et Gaston. Mas Dior tinha outros planos, mais ambiciosos: começar sua própria Maison.

A Casa Dior

Em 8 de dezembro de 1946, com suporte de Boussac, Christian Dior realizou seu sonho e inaugurou a Casa Dior. Sua primeira coleção foi batizada de “Corolle”, mas entrou para a história como “New Look”, termo criado por Carmel Snow, editora da Harper’s Bazaar na época. O grande destaque da coleção foi o Tailleur Bar, um casaquinho de seda acinturado com uma longa saia plissada.

Suas peças foram recebidas com muita surpresa e entusiasmo, pois contrariava totalmente o estilo conservador cheio de retas remanescente da II Guerra Mundial. Dior oferecia formas, curvas e muito glamour. Seu trabalho revolucionou a moda feminina da época e ajudou a reestabelecer Paris como a capital mundial fashion.

Christian Dior faleceu em 24 de outubro de 1957, Itália. Alguns dizem que ele engasgou por de um osso de peixe; outros, que sofreu um ataque cardíaco. Até hoje, a causa da sua morte permanece um mistério.

A maior exposição já feita sobre Christian Dior

Uma exposição sobre Christian Dior está sendo preparada para 2019 e será a maior já feita sobre o estilista. A Christian Dior: Designer of Dreams será baseada em outra exposição, a Christian Dior: Couturier du Rêve, realizada em Paris, 2017, pelo Musée des Arts Décoratifs, e reunirá um grande número de objetos pessoais de Dior, cerca de 500. Serão 200 trajes de alta-costura, além de acessórios, fotografias de moda, filme, perfume, ilustrações, entre outros.

A mostra londrina será sensivelmente diferente da apresentada na França. Mais focada nas fontes de inspiração que levaram o estilista a criar algumas das peças mais marcantes do século XX, ela contará com obras de jardinagem, arte decorativa do século XVIII e diversos looks de alguns de seus sucessores, como Marc Bohan e John Galliano. A ideia é explorar o verdadeiro fascínio que Dior nutria pela Inglaterra.

Por isso, uma das principais novidades será um setor totalmente novo dedicado à relação de Christian Dior com o país inglês. O espaço explorará as colaborações entre ele e icônicas manufaturas britânicas e relembrará os desfiles famosos realizados em famosas casas inglesas, como a Blenheim Palace, em 1954.

A diretoria criativa da exposição, Maria Grazia Chiuri, fez da mostra uma viagem rica em detalhes e referências de toda a trajetória da Maison Dior, destacando com muito brilho todos os detalhes que tornaram o trabalho de Christian Dior uma marca fashion tão forte e resistente.

A exposição acontece de 2 de fevereiro e 14 de julho 2019.

10 fatos sobre Christian Dior

1. Sua carreira durou apenas 12 anos. Quando Dior lançou sua primeira coleção, ele já tinha passado dos 40. Em pouco mais de uma década, ele construiu um verdadeiro império da moda.

2. Yves Saint Laurent tinha apenas 19 anos quando se tornou seu assistente de design. Dois anos depois, Dior pediu para a própria mãe de Saint Laurent para que ele fosse seu sucessor.

3. Christian Dior tinha um verdadeiro fascínio por amuletos da sorte e é possível encontrá-los incorporados a várias das suas criações. Um exemplo é a famosa Lady Dior, a preferida de Lady Di, com suas letras douradas.

4. A galeria de artes que abriu no início da carreira pode não ter durado muito, mas exibiu obras de artistas importantes do quilate de Pablo Picasso e Joan Miró. Foi na galeria de Christian Dior que a icônica obra do surrealismo “A Persistência da Memória”, de Salvador Dali, foi exposta em Paris pela primeira vez.

5. Um dos seus perfumes mais famosos, o Miss Dior, foi batizado assim em homenagem à sua irmã, Catherine Dior, que foi um membro da Resistência Francesa contra a ocupação nazista e chegou a ser mandada para um campo de concentração.

6. Depois de sete décadas, Maria Grazia Chiuri foi a primeira mulher a assumir a direção artística da Maison Dior.

7. Christian Dior acreditava muito em médiuns e costumava consultá-los regularmente para descobrir qual seria a data perfeita para fazer o lançamento das suas coleções.

8. A casa Christian Dior é uma das únicas atualmente que pode ser realmente considerada “Haute Couture”. Ela lança apenas duas coleções no ano – em Janeiro e em Julho – utilizando apenas os materiais mais finos.

9. No início, seu grande sonho era se tornar um arquiteto. Seguindo os desejos do seu pai, porém, acabou estudando Ciências Políticas na École des Sciences Politiques. Depois de formado, não teve interesse em seguir na área e abriu sua galeria de arte.

10. Christian Dior foi o primeiro a licenciar o uso do seu nome para linhas de acessórios. Hoje uma prática padrão no mercado, foi muito criticada em 1949 por vulgarizar a indústria da alta costura.

Agora que você conhece melhor sobre esse grande nome da moda mundial, a exposição sobre a vida de Christian Dior fica ainda mais imperdível. Se você ama o mundo fashion e estiver de viagem marcada para Londres ou estiver pensando em um ótimo lugar para visitar nas férias, não pode perder essa oportunidade!

Fontes: Fragmentos da Moda, UOL, Wikipédia, Global Blue, Discover Walks, La Maison Dior, Vogue Brasil, Artlistr.