01 / nov / 2018

Conheça o primeiro trem movido a hidrogênio

A sustentabilidade é essencial para preservamos o meio ambiente e cuidarmos do planeta para as gerações futura. Por isso, diversas grandes empresas já se mobilizam em busca de alternativas limpas, que gerem o mínimo ou até mesmo nenhum tipo de poluente.

E quando se fala em grandes empresas e sustentabilidade, as atenções costumam se voltar para a indústria automobilística. Isso porque os automóveis são alguns dos maiores emissores de poluentes do planeta. Para se ter uma ideia, um estudo realizado pelo IEMA – Instituto de Energia e Meio Ambiente aponta que os automóveis são responsáveis por 72,6% das emissões de Gases de Efeito Estufa em São Paulo.

A situação não melhora quando falamos de veículos de grande porte. Os trens também são meios de transporte altamente nocivos ao meio ambiente. Isso porque é preciso considerar também toda a sua infraestrutura. Em lugares como a Costa Leste dos Estados Unidos, onde combustíveis fósseis são utilizados pelas ferrovias para gerar eletricidade, os trens acabam poluindo mais do que os aviões de grande porte.

A boa notícia é que uma novidade surgida há pouco tempo pode mudar todo esse panorama e virar o jogo a favor da sustentabilidade: um trem movido a hidrogênio.

O trem movido a hidrogênio

No último mês de setembro, começou a operar na Alemanha, saindo da estação de Bremervörde, o trem que é tido como o mais limpo do mundo. O veículo ainda está em fase de testes e é equipado com células de combustível que realizam a conversão de hidrogênio e oxigênio em eletricidade sem produzir qualquer tipo de poluente. No dia seguinte ao início das operações, mas dois veículos do tipo entraram em serviço comercial.

Os veículos foram desenvolvidos pela Alstom, uma das maiores fabricantes ferroviárias europeias, e percorrerão o trajeto entre as cidades de Cuxhaven, Bremerhaven, Bremervoede e Buxtehude, que somam cerca de 100 quilômetros. 

O trem movido a hidrogênio precisa ser abastecido em uma estação móvel de hidrogênio gasoso. Um contêiner de aço medindo cerca de 12 metros colocado próximo aos trilhos realiza o bombeamento do hidrogênio para dentro dos veículos. Com um tanque cheio, é possível percorrer cerca de mil quilômetros. O único “porém” é que a velocidade dos trens limpos é consideravelmente menor, atingindo no máximo 140 km/h.

Até 2021, o plano é ter mais 14 trens operando com hidrogênio gasoso, segundo o Ministro da Economia e dos Transportes da Baixa Saxônia. O objetivo é reduzir os níveis de emissão de CO2 em até 40% no período e, até 2050, utilizar 80% de energia renovável para o abastecimento elétrico.

Hidrogênio: o combustível do futuro

Quando se fala em combustível e sustentabilidade, a aposta de grande maioria dos especialistas da área é o hidrogênio. Inesgotável e antipoluente, o hidrogênio é visto como o

combustível do futuro, justamente porque produz apenas calor e água quando é queimado com oxigênio e não agride o meio ambiente.

O hidrogênio é também um combustível de baixo peso e por esse motivo costuma ser usado em projetos espaciais, como foguetes e cápsulas. Ele possui mais quantidade de energia por unidade do que os outros combustíveis conhecidos e pode ser gerado de diferentes formas, como a partir da gaseificação do bagaço da cana-de-açúcar ou de fontes fósseis.

No Brasil, existem cerca de 15 empresas destinadas à fabricação de “geradores de hidrogênio” destinados a carros, que utilizam a eletrólise para gerar de oxigênio e hidrogênio contidos na água. Esses geradores não substituem os motores dos veículos, mas elevam seu poder de explosão e aumentam sua eficiência, queimando completamente o combustível. O resultado é uma economia de até 40% no consumo de gasolina. Esse tipo de sistema, no entanto, não possui regulamentação nem aprovação de empresas de controle de qualidade.

Procave e a importância da sustentabilidade

Na Procave, acreditamos que as práticas sustentáveis são fundamentais para a evolução da construção civil e para a qualidade de vida dos nossos clientes. Por isso, construímos o Projeto Pró-sustentável.

Um sistema de gestão socioambiental para que todos os seus projetos e construções sejam estruturados em torno de práticas sustentáveis, garantindo a redução de desperdícios, o melhor aproveitamento da luz solar, equipamentos para captação de chuvas, reciclagem de resíduos e a utilização de materiais que não agridam o meio-ambiente.

Com o efeito estufa atingindo níveis cada vez mais elevados e o aquecimento global, iniciativas como a do trem movido a hidrogênio são mais do que bem-vindas, mas essenciais para a preservação do planeta. Mas não são apenas as grandes invenções da ciência e da tecnologia que contribuem para o meio ambiente: nossas ações também fazem a diferença. O futuro é importante demais para ficarmos de braços cruzados. E todos nós podemos contribuir, mesmo que com pequenas atitudes no dia a dia. Então, temos a obrigação de fazer nossa parte, reciclando nosso lixo, adotando práticas sustentáveis e apoiando empresas com responsabilidade ecológica.

Fonte: Revista Galileu; Revista Galileu; Brasil Escola; G1; G1; G1;