17 / maio / 2019

Crianças na cozinha: diversão e aprendizado

Se quando alguém fala em crianças na cozinha você logo imagina bagunça e estresse, é melhor rever seus conceitos. Cada vez mais, a gastronomia vem se mostrando uma das atividades mais indicadas para os pequenos, garantia de momentos muito divertidos e importantes lições.

 

Com todas as suas cores, texturas e sabores diferentes, a gastronomia se apresenta como um prato cheio para os olhares curiosos dos pequenos. Mas a culinária infantil vai muito além do simples preparo de receitas. Ela envolve tudo o que chamamos de ambiente alimentar.

 

O ambiente alimentar

 Cozinhar é uma atividade bastante complexa, que envolve uma cadeia longa de processos. Mesmo para fritar um ovo, tido como algo simples, é preciso planejar um orçamento, fazer as compras no mercado, guarda-las, selecionar os ingredientes e, finalmente, botar a mão na massa. Esse é o ambiente alimentar, a reunião de tudo que a gastronomia envolve na prática. Pensando dessa forma, fica fácil entender como a experiência de cozinhar pode ser rica em lições para as crianças.

 

Lições da cozinha para as crianças

 Conheça algumas das lições mais valiosas que a gastronomia pode ensinar para as crianças:

 

Matemática: matemática e gastronomia têm tudo a ver. Na contagem dos ingredientes, na quantidade, no tempo de preparo… um bom cozinheiro precisa ser bom de conta! Por isso, essa é uma maneira leve e divertida de fazer com que o seu pequeno tenha mais intimidade com o mundo dos números.

 

Organização: outra qualidade dos grandes chefs que pode ensinar muito para as crianças é o mise en place, o processo de deixar todos os ingredientes devidamente em ordem, separados e preparados para o uso. Com o envolvimento na cozinha, elas aprendem a desenvolver sua capacidade de organização.

 

Trabalho em equipe: delegar tarefas no preparo de um prato é uma ótima maneira de acostumar seus pequenos a trabalhar em equipe. Eles podem desenvolver a capacidade de ouvir e contribuir com ideias, respeitar o espaço dos outros e reconhecer o valor cooperação mútua na conquista de um resultado em comum.

 

Calma e concentração: crianças costumam ser agitadas. Na hora de cozinhar, elas vão precisar aprender a fazer as coisas com calma e a manter a concentração no que estão fazendo. Para crianças muita inquietas, é recomendável que você comece delegando tarefas mais rápidas e menos repetitivas.

 

Atividades de acordo com a idade das crianças

 Mas a partir de que idade as crianças podem começar a se envolver com a cozinha? O consenso é que por volta dos 2 anos os pequenos já estejam preparados para entender o que está acontecendo e participar de algumas atividades. Conforme a criança vai crescendo e se desenvolvendo, pode ir fazendo cada vez mais coisas.

 

  • A partir dos 2 anos: com essa idade, as atividades mais indicadas são as mais simples, como pegar ingredientes, lavá-los, experimentá-los e misturá-los na tigela.

 

  • A partir dos 4 anos: conforme as crianças vão desenvolvendo sua capacidade de raciocínio, o grau de envolvimento pode crescer. Elas já podem desempenhar tarefas um pouco mais complicadas, como passar geleia em um pão, arrumar a mesa, escolher temperos e até ajudar na montagem de pratos organizados por camadas e coberturas, como pizzas, sanduíches e bolos.

 

  • A partir dos 7 anos: com 7 anos, já é possível liberar alguns utensílios para uso, como facas pequenas, descascador, ralador e micro-ondas. Elas também podem começar a botar mais a mão na massa, ajudando a preparar o café da manhã e a temperar as receitas. Como nessa idade elas já possuem a coordenação motora mais desenvolvida, podem começar a auxiliar também em tarefas relacionadas, como botar a mesa, guardar as compras, medir ingredientes e lavar a louça.

 

  • A partir dos 10 anos: com essa idade, as crianças já estão prontas para cozinhar de fato. Elas têm a capacidade de seguir uma receita e preparar pequenas refeições, podendo ajudar também na hora das compras e da montagem do cardápio. É nessa fase que utensílios como o fogão e as facas estão liberados para serem utilizados.

 

Crianças na cozinha: principais cuidados

 

  • Tome muito cuidado com utensílios espalhados pela pia ou pela bancada. Qualquer distração pode causar um acidente. Deixe facas, garfos e outros objetos pontiagudos sempre bem guardados. Utilize utensílios de silicone, como colheres e espátulas. E não esqueça da dica mais importante: o cabo da panela deve estar sempre virado para cima do fogão.

 

  • Se você estiver montando sua cozinha ou planejando trocar seus eletrodomésticos, opte por um fogão por indução. Ele é o tipo mais seguro quando se tem crianças na cozinha, pois não possui chamas, o que evita que sua superfície esquente e queime ao toque.

 

  • Mesmo nas tarefas mais simples, é muito importante supervisionar as crianças o tempo todo. Elas têm o hábito de observar o que os adultos fazem e tentar fazer igual, então todo cuidado é pouco. Tenha sempre a certeza de onde elas estão e o que estão fazendo exatamente, deixando-as sempre perto do seu campo de visão.

 

  • Utilize alguns itens para garantir a segurança das crianças, como facas sem ponta, protetores de mão e aventais.

 

Agora que você conhece bem todas as vantagens e benefícios de ter as crianças na cozinha, que tal começar a colocar tudo isso em prática? Faça uma seleção de receitas simples, separe um tempo na sua agenda e deixe seus pequenos chefs mostrarem todo o talento deles. Com certeza, será uma experiência incrível que vai deixar um gostinho de quero mais!

 

Fontes: A Revista da Mulher, EBC, Guia da Cozinha, Diiirce, Promobit.