28 / jun / 2019

7 lições de organização para transformar seu lar

No início do ano, um assunto se tornou um dos mais comentados na internet: a organização do lar. Graças a um documentário lançado na época, as pessoas começaram a se interessar por métodos que traziam uma nova abordagem à arrumação da casa e provocava verdadeiras transformações no seu dia a dia.

 

A verdade é que a grande maioria das pessoas não é muito fã de parar tudo que está fazendo para promover uma grande arrumação em casa. Sempre temos algo melhor para fazer, não é mesmo? E com esse desinteresse, vamos acumulando objetos que não utilizamos ou sem valor.

 

A proposta dessa nova abordagem sobre a organização das nossas coisas bate justamente nesse ponto, incorporando elementos que vão além da arrumação tradicional e incluem até alguns preceitos da religião xintoísta.

 

Confira as lições que separamos para você colocar a casa em ordem e transformar sua vida!

 

Faça a divisão por categorias

 

O primeiro passo é começar a sua organização separando tudo por categorias. Normalmente, quando vamos arrumar nossas coisas, temos o costume de organizar tudo cômodo por cômodo. Nossa proposta é você juntar todos os itens da casa que pertençam a uma categoria e começar a organizá-las na seguinte ordem:

 

  • Roupas
  • Livros
  • Documentos
  • Itens variados.
  • Objetos de valor sentimental.

 

Em cada uma dessas categorias, você vai fazer duas ações: descartar e guardar.

 

Alegria acima de tudo

 

Mas como definir exatamente o que você deve manter e o que deve jogar fora? A resposta é bastante simples: guarde apenas o que traz felicidade para você. Esse é o principal critério. Assim, você deve pegar cada objeto nas mãos e se fazer a seguinte pergunta: “Isso traz alegria para mim? ”. Se a resposta for positiva, o objeto deve ser guardado; se for negativa, descartado.

 

O objetivo dessa técnica é garantir que a organização da casa seja sempre algo prazeroso, o que acontece naturalmente quando estamos rodeados apenas por coisas que despertam bons sentimentos em nosso coração.

 

Pode ser difícil se desfazer de certos objetos, mas é importante ter em mente que descartá-los não significa abrir das experiências que ele proporcionou. As memórias sempre estarão conosco. Depois que algo cumpriu seu papel e não traz mais felicidade, é hora de abrir mão.

 

Faça da organização um momento especial

 

É compreensível que nem tudo na nossa casa esteja perfeitamente organizado. Na maioria das vezes, simplesmente falta tempo para deixar tudo em ordem. Além disso, o dia a dia é corrido, cansativo e não temos a energia necessária para uma arrumação mais detalhada.

 

Só que para o método funcionar, é preciso que a hora da organização seja vista como um momento especial. Por isso, programe-se. Arrume um espaço na sua agenda com antecedência, como se fosse um compromisso. Acorde cedo e comece a definir o que traz ou não felicidade para você.

 

O mais importante nessa hora é você começar a organização de coração aberto. Não vá de má vontade ou apressadamente, querendo acabar logo. Tire esse momento como um tempo só para você, sem distrações e problemas. Acredite: vai valer muito a pena!

 

Use caixas

 

É lógico que você vai precisar de caixas para fazer a arrumação da sua casa. Mas vamos nos aprofundar um pouco mais na função que elas podem ter.

 

Em primeiro lugar, procure ao máximo utilizar caixas que você já tenha em casa. Nosso primeiro impulso é sempre ir atrás de mais e mais caixas, mas é muito provável que dentro da nossa casa já tenhamos uma quantidade suficiente, como as de sapato ou encomendas.

 

Uma boa dica é utilizar caixas transparentes para guardar suas coisas. Assim, você pode guardá-las de um jeito que elas sempre serão vistas e não vai correr o risco de comprá-las de novo. Nas gavetas, ao invés de deixar tudo espalhado, utilize caixas menores para agrupar objetos com o mesmo tamanho e mesma função.

 

Três categorias para documentos

 

Quem nunca se espantou com a quantidade de papel que acumulamos no dia a dia, não é mesmo? Os documentos são um dos pontos mais críticos do processo de organização. Após realizar o exercício de descarte, mantendo apenas os que trazem alegria, você deve separá-los em três categorias:

 

  • Pendentes: os que necessitam de uma ação sua, como cartas e documentos.
  • Importantes: aqueles que precisam ser guardados para sempre, como contratos.
  • Variados: os que você precisa com frequência, como receitas.

 

Depois de dividi-los, guarde-os em pastas armazenadas na vertical, para que você sempre tenha uma visão completa deles.

 

Livros e fotos também podem ser descartados

 

Abrir mão de livros e fotos costuma ser uma tarefa bastante complicada. Isso porque esses objetos costumam ter importância sentimental para as nossas vidas e sempre trazem muitas lembranças. Mas lembre-se do que falamos no início do texto: abrir mão de algo não significa abrir mão das experiências que vivemos com esse objeto. Essas memórias sempre estarão conosco.

 

Então, deixe nas prateleiras apenas os livros que fazem você feliz, que só de olhar você já ama. Os que você não quer mais podem ser doados ou até trocados por outros livros novos. Existem diversos espaços onde você pode fazer isso. Depois, posicione-os lado a lado, na vertical.

 

Já com as fotos, abra mão das repetidas, que mostram os mesmos lugares ou situações. Hoje em dia é mais raro termos fotografias físicas guardadas, então a melhor dica é juntá-las em um álbum de fotos bem bonito e decorado, armazenando-os em prateleiras ou mesas de centro.

 

Tirou, coloque de volta

 

Depois que você acabou a organização, começa uma nova tarefa diária: manter a casa em ordem. Sim, porque uma boa arrumação é mais do que uma simples atividade, mas um verdadeiro estilo de vida. Para garantir que tudo permaneça no lugar e você não precise tirar mais um dia inteiro parar reorganizar tudo, estabeleça a regra do “sempre que tirar, coloque de volta no lugar”. Você vai começar a perceber que não apenas seu lar vai ficar mais harmonizado, mas a energia do lugar também vai melhorar. Da mesma forma que nós relaxamos quando finalmente chegamos em casa no fim do dia, nossos objetos também ficam mais aliviados quando retornam para os seus respectivos lugares. Assim, sua vida útil se prolonga.

 

Fontes: Dicas de Mulher, Casa Vogue, BuzzFeed.